A Importância dos Oceanos

Os oceanos ocupam 70% da superfície do planeta e têm uma grande importância ecológica, econômica, política e sociocultural. São eles responsáveis pelo regulamento do clima, proporcionam alimentação, lazer, transporte e gera renda. Por conta disso, os oceanos são fundamentais para a sobrevivência da espécie humana e  fazendo com que as águas oceânicas sejam muito importantes para a existência de milhões de espécies de seres vivos.

Assim como na superfície terrestre, o fundo do mar tem uma diversidade de relevo em suas bacias oceânicas como os montes submarinos, planícies abissais, cadeias montanhosas submarinas e fossas oceânicas que variam devido ao movimento das placas tectónicas da Terra.

Mas será que a população conhece a importância que este imenso ecossistema tem em suas vidas? Será que observam o seu verdadeiro valor? Para se ter uma ideia, aproximadamente 2/3 da população mundial vive atualmente a menos de 50km do mar (ONU-Unesco).

Essa faixa de terra litorânea correspondente a menos de 2% do território terrestre e abriga uma população de um pouco mais de 4 bilhões de pessoas. Os brasileiros seguem esta tendência mundial de ocupar áreas costeiras onde cerca de 50 milhões de pessoas, ou seja, 1/4 dos habitantes do País, moram em municípios da zona costeira brasileira (IBGE).

Eles também são grandes produtores de oxigênio, através das microalgas oceânicas, além de regularem a temperatura do planeta. Consequentemente definem cenários climáticos e interferem na dinâmica da atmosfera, atuando de forma direta no processo de equilíbrio natural do planeta. Sem dúvida um importantíssimo serviço ambiental para a viabilidade humana na Terra.

Os oceanos são capazes de absorver 90% do calor do planeta e recolher 30% do dióxido de carbono. A biodiversidade encontrada é riquíssima e equivalente à de ecossistemas terrestres, senão maior. Estima-se que somente 10% dos oceanos é conhecido.

Nos últimos anos, essas grandes extensões de água passaram a receber atenção especial no mundo, por conta das mudanças climáticas e da consequente elevação do nível do mar. As alterações na circulação do oceano podem produzir mudanças consideráveis e talvez irreversíveis no clima da terra.

Portanto os oceanos produzem economia para o país e são importantes para a segurança nacional. Além disso, não podemos deixar de esquecer de como as praias são nossas principais áreas de recreação e dos importantes deslocamentos intercontinentais dos navios, levando e trazendo produtos de consumo do nosso dia a dia.

Muitos dos recursos minerais utilizados são extraídos do fundo do mar, como o magnésio, que é utilizado em ligas metálicas, especialmente com o alumínio. O bromo é utilizado na indústria alimentar, farmacêutica e fotográfica. O sal de cozinha (cloreto de sódio) é o mineral mais importante obtido diretamente a partir da água do mar. Além disso, o fundo dos oceanos poderá ser a principal fonte de areia para a construção civil e recuperação de praias nos próximos anos.

Com a população mundial em constante crescimento, o acesso a alimentos acaba se tornando um problema em diversos segmentos da sociedade. Estima-se que será necessário dobrar a produção mundial de alimentos até 2050 para atender a todos. O mar vem se mostrando uma boa alternativa para este desafio, quando se considera que o mesmo já possui uma enorme influência nos hábitos alimentares humanos, principalmente nos países litorâneos.

Centenas de milhões de toneladas são pescados por ano, sendo a principal fonte de proteína para milhões de pessoas. A maricultura também vem crescendo no âmbito mundial. Dessa forma, moluscos, algas – de tamanho macroscópio e microscópio – e outros diversos seres marinhos são utilizados para os mais variados fins. Por exemplo, as algas são utilizadas na indústria do papel, fotográfica, alimentar, farmacêutica e na produção de cosméticos.

Os animais marinhos também são fontes importantes de estudo para a medicina, a farmacologia e a biomedicina. Alguns exemplos são os ouriços-do-mar – Echinoidea – que têm seus ovos utilizados nos estudos de biologia celular. As lulas – da ordem Teuthida – também contribuem para pesquisas na área da saúde, ajudando no diagnóstico e no tratamento de perturbações nervosas de seres humanos.

O turismo marítimo e costeiro compõe o maior segmento da indústria mundial de turismo e viagens, é responsável por mais de 200 milhões de empregos em todo o mundo. Por conta disso, a falta de um turismo sustentável coloca em risco não só a fauna e flora litorânea, mas também a economia de muitos países, já que, a poluição desses espaços e a perda de seres marinhos, como corais, torna o ambiente menos convidativo para os turistas

Entretanto, a significativa redução da população de grandes predadores, a superpopulação de celenterados, o colapso da pesca e, inclusive, uma assombrosa concentração de plásticos em todos os oceanos; mostram que não estamos cumprindo bem o nosso papel de guardiões deste patrimônio.

Há bem pouco tempo, em nosso país, por exemplo, apenas 1,5% de áreas marinhas estavam protegidas, e cerca de 80% de seu estoque pesqueiro permanece ameaçado. Atualmente conseguimos aumentar as áreas marinhas protegidas para 25% graças à criação das áreas de proteção ambiental no entorno das Ilhas Trindade e Martim Vaz além do arquipélago de São Pedro e São Paulo.

Sabendo disso, é importante perceber que estes problemas são o resultado da falta de uma mentalidade marítima da sociedade brasileira o que induz a falta de políticas públicas efetivas que contemplem esta realidade de omissão e a um desenvolvimento econômico que ignora cada vez mais a sustentabilidade.

Reconhecer este fato é uma forma de refletirmos sobre nossos hábitos, como sociedade, e também escolher bem e cobrar daqueles que escolhemos para serem nossos representantes.

Com isso, percebemos a necessidade de que os cidadãos conheçam e compreendam sobre a influência do oceano na vida humana. Dessa forma, seremos capazes de influenciar a tomada de decisões em relação ao oceano e seus recursos.

Fontes: Um Só Planeta, Máfia do Mergulho, Olhar Oceanográfico.

Seja o primeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.