“Efeito Lázaro”

O redescobrimento de um pequeno roedor australiano 125 anos depois de ter sido considerado extinto aumenta a longa lista de espécies que voltam a ser avistadas. A espécie não havia sido extinta, apenas permaneceu escondida por mais de um século, numa pequena ilha da baía de Shark, no oeste da Austrália.

Embora possa parecer surpreendente, o caso dos ratos-de-Gould não é único. É relativamente frequente que certas espécies sejam dadas como extintas e redescobertas muitos anos depois. Aliás, isso tem até um nome: efeito Lázaro, em referência à passagem bíblica em que Jesus ressuscita Lázaro de Betânia.

Mas o efeito Lázaro não se limita a animais. Em 1979, um estudante de 12 anos encontrou um exemplar da Ramosmania rodriguesii, uma flor branca também conhecida como café-marrom. Esta flor, endêmica na ilha Rodrigues (pertencente às ilhas Maurício, no oceano Índico), foi dada como extinta em 1940. Graças a um desenho que um de seus professores tinha lhe mostrado, o menino encontrou um exemplar numa estrada perto da sua casa. Foi o único espécime achado nos arredores. O problema é que, ao contar com um só indivíduo, as flores não geravam sementes, e a planta teve que ser transferida para o Real Jardim Botânico de Kew, no Reino Unido, para que fosse desenvolvida uma técnica que permitisse reproduzi-la. A ideia em um futuro próximo é repovoar a ilha com esta planta característica.

Fontes: El País, Mundonews, Brasil 247, Head Topics.

 

2 Comments

  1. Ana Maria Cunha Aguiar said:

    Muito interesssnte o “efeito Lázaro”!
    Parabéns pelo trabalho! Avante! 👏👏

    22/11/2021
    Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.