Pesquisadores próximos de criar carro movido à urina

A busca por fontes de combustível renovável e menos poluentes está levando os cientistas a soluções cada vez mais inusitadas. Basta dizer que estamos cada vez mais próximos de dirigir carros movidos a urina. Pesquisadores da universidade de Ohio, nos Estados Unidos, desenvolveram uma maneira de transformar o líquido em hidrogênio, que poderia ser utilizado na motorização de diversos veículos.

Segundo Gerardine Botte, líder do projeto de pesquisa, a criação de hidrogênio a partir da urina é muito mais barata do que através da água. Isso porque ela é composta 90% por ureia, cujas moléculas podem ser quebradas mais facilmente, exigindo voltagem menor no processo. Para isso, os estudiosos trabalham na criação de eletrodos especiais, que permitiram a oxidação necessária.

Segundo o site Chemistry World, inicialmente os testes foram feitos com urina sintética, feita a partir de ureia dissolvida, mas após avanços nos estudos o procedimento passou a funcionar com urina humana.

O maior desafio para os pesquisadores é tornar a síntese do hidrogênio mais limpa, por conta da alta quantidade de sal no líquido. Outro problema é a rápida transformação da ureia em amônia por ação de bactérias. De acordo com essas pesquisas, um carro movido a urina pode até existir, mas não será tão cedo.

Contudo, pesquisadores da Universidade de Stony Brrok, nos EUA, conseguiram fazer um trator de porte médio funcionar durante horas com um reator compacto movido pela urina.

Ele foi criado pela startup Amogy que quebra a amônia e usa o hidrogênio para gerar energia.

“Estamos entusiasmados em demonstrar nossa solução de energia de amônia de emissão zero em ação em um trator pela primeira vez. A amônia é um combustível viável de emissão zero para todos os veículos pesados, mas especialmente para agricultura e agricultura, onde o produto químico prontamente disponível é usado como fertilizante há décadas”, disse Seonghoon Woo, CEO da Amogy.

Não poluente

A ideia não é nova, mas surge como uma nova fonte de energia que limpa, que não impacta o meio ambiente.

O processo químico com a amônia não libera carbono, o que ajudaria a diminuir a liberação de poluentes.

E mais: é uma substância simples que pode ser extraída da natureza, da urina de mamíferos.

Como funciona

Essa combustão gera energia rapidamente e tem uma alta densidade.

Isso significa que o combustível gerado rende bastante e pode movimentar veículos grandes e pesados, em teoria.

E como a urina já conhecida, existem tecnologias para armazenar e manusear o insumo dentro da indústria.

Atualmente, a ausência de recursos capazes de extrair amônia de forma eficiente em locais confinados dificulta o avanço da exploração do potencial energético da matéria orgânica.

Porém, com avanços industriais, a produção em larga escala pode começar a ser pensada para um futuro próximo.

Veículos movidos à urina

A Amogy alcançou um aumento de 20 vezes na capacidade de energia de sua tecnologia com o apoio de seus investidores e está focada em expandir sua plataforma.

A ideia é mostrar a viabilidade de tecnologias compactas de energia de amônia em outras aplicações e veículos, como caminhões Classe 8 e navios de transporte, a serem demonstrados nos próximos 12 meses.

Fontes: Revista Crescer, Fator RH, Só Notícia Boa.

Seja o primeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.